Desejos (IV)

N?o voltar aos 220/min nunca, nunca mais.

posted by Agnès @ 12:58 da tarde, ,




Porque é que ninguém me avisou antes???

Será que ainda dá tempo para ir a correr a LIsboa?

posted by Agnès @ 12:51 da tarde, ,




Eu recomendo o inicio de semana com (II) :



Mar Adentro

9 euros para ver um filme. Este filme.
9 euros bem gastos.

posted by .j. @ 11:17 da manhã, ,




Eu recomendo o inicio de semana com (I) :

# entrevista a Cesar das Neves

# os cursos de Socrates

posted by .j. @ 11:09 da manhã, ,




Desejos (III)

Um chá fumegante, um bolo fofinho e macio, uma música agradável e uma boa companhia.

posted by Agnès @ 12:16 da manhã, ,




A Esfínge


[ "Sem auxílio nem fuga" - 2005 ]
[ Fotografia de .j. ]

Aqui nao há nada,
Nada entre o céu e a Terra…
Nao há nada nos desertos da solidao.
Só as duas placas de vidro que esmagam a realidade,
Apenas as imagens rápidas
Que trespassam os pensamentos,
Como punhais de cristal.
Ela está enterrada no deserto árido,
Submersa no solo até a longitude dos seios,
Qual esfinge abandonada, estátua de argila
Membros amputados, sem auxílio nem fuga,
Corroída pela voz dos ventos e fustigada pelas tempestades…
Na luminosidade triste e baça do fim de tarde
Levantam-se dos solos as sombras solitárias,
Espíritos divagueantes daqueles que já nao existem…
No interior das grades ósseas do externo guarda o cofre das maldiçoes
E nas pontas dos cabelos pendem, enforcados, os que ousaram usurpá-la…

Carl Isle

posted by Bruno @ 10:41 da tarde, ,




como perder o seu tempo (e respectiva sanidade mental) na internet durante o fim-de-semana (parte I):


la lalala lala la lalala la

posted by .j. @ 9:35 da tarde, ,




Questoes materiais

posted by Ricardo Fortunato @ 11:03 da tarde, ,




.2.


[ sem título - 2005 ]
[ fotografia de .j. ]



Snowy evening


In this landscape silence has cloaked all tracks
trees are thinned out to graphite-grey streaks
left-behind leaves are thin nets of nerves
the stars mere pinpricks
don't go out
you'll be like me, struck dumb.

- Solveig von Schoultz,
in Snow and Summers -

posted by .j. @ 2:52 da tarde, ,




Hoje, saudades principalmente:

.1. da(s) minha(s) mae(s)
.2. da comida delas
.3. de conduzir (que vontade de conduzir...)
.4. de comprar o Público (ver o calvin, espreitar a cultura hoje, ler o Prado Coelho e depois o resto...)
.5. de rebuçados de fruta (daqueles que só aí se encontram...).

[e tuas, claro. sem numero.]

Se eu pudesse ter isso tudo hoje, ai se eu pudesse... Dia lamechas, este!
Daqui a pouco, jantar entre portugueses "refugiados" na terra do Pai Natal.
Para enganar as saudades. Ou piorar.

Brasil, já te digo o que tenho de Tristan Tzara. Espera só um bocadinho...
Amaranta, permites-me uma secçao de Desesperos, a acompanhar os (teus) Desejos? É que ando a desesperar por tanta coisa... :)

posted by .j. @ 5:07 da tarde, ,




Cu cu

Bem, a convite expresso da .j. juntei ao já existente Brucsinha (que nao vou, obviamente abandonar) a minha participaçao aqui no .flocos de neve.
Desde já aviso que a secçao Desejos que tinha começado lá, vai passar a ser postada aqui.

posted by Agnès @ 11:01 da tarde, ,




A (primeira) Intromissao

Nao se preocupem se este novo e estranho autor vos fere a visao. Decidi simplesmente mostrar, em directo, a Joana que aceitei um certo convite... E que melhor maneira de começar do que mostrar que estou a 4 meses de acabar o meu curso de Traduçao Arrogante, tentando traduzir o poema The Answer, transcrito para o Flocos de Neve neste mesmo dia, mas de um local que fica muito, muito longe...

A Resposta

Deve ter sido há algum tempo a primeira vez,

numa vida passada num outro lugar

num outro tempo perdido agora para mim

devo ter respondido a pergunta.

Porque continua a ser feita?

Quem fui eu outrora?

Quem outrora traí?

O engano também lá está, uma resposta vaga,

uma memória vinda de um lugar inacessível

e continuam a dar-me novas hipóteses

para dar uma nova resposta.

.

PS: Também nao sei se Solveig von Schoultz está traduzido para portugues, mas gostei deste poema...

posted by O Estranho @ 3:00 da tarde, ,




.1.


[ sem título - 2005]
[ fotografia de .j. ]

The answer

Some time must have been the first time,
in an existence in another place
in another time lost to me now
I must have answered the question.
Why does it keep being asked?
Who was I once?
Who did I once betray?
Treachery is there too, a vague answer,
a memory from an inaccessible place
and I keep being given new chances
to give a new answer.


- Solveig von Schoultz,
("the undisputed grande dame of Finland-Swedish literature"),
in Snow and Summers,
translated by Anne Born-

Para começar: Gosto do novo template. Por agora.
Alem disso: Gosto dos poemas de Solveig von Schoultz. Sobretudo deste.
Para acabar: Gosto do Brasil aqui. Vou mandar mais alguns convites...

posted by .j. @ 12:34 da manhã, ,




mudanças a partir de hoje

na política e no borras-flocos...

assim, Paulo Portas vai apresentar demissao da liderança do PP,
e Brasil, meu caro amigo, vai fazer parte deste blogue.

para já Pedro Santana Lopes nao abandona o "barco" no PSD,
e eu apenas posso avançar mais mudanças para breve.

posted by .j. @ 12:17 da manhã, ,




Na passada sexta-feira...

... Marcelo Rebelo de Sousa esteve no departamento
de Jornalismo da Faculdade de Letras do Porto.
Nao ha por aí alguém que me possa contar como foi?

[Esta versao nao chega!]

posted by .j. @ 7:12 da tarde, ,




Finnish Design Year 2005

posted by .j. @ 1:47 da tarde, ,




estranho...

ontem por volta das 18h00 ainda se viam raios de luz no ceu
(o que nao é de todo normal...)
hoje por volta das 11h00 tudo estava coberto de neve,
desde as pedras no chao ate aos mais finos ramos das arvores
(talvez o dia mais branco que vi...)
depois, ao sair do autocarro, encontrei o caminho da paragem
ate a passadeira repleto de rebucados aqui e ali
(ninguem olhava para o chao. eu tentei fazer o mesmo, pois
"na terra que vives faz como vires")
por fim, encontrei meia dúzia de pessoas com a cara toda pintada de vermelho.

Logo a noite, há festa de Carnaval no Yo- Talo.
(de notar que o Carnaval, no resto do mundo, aconteceu a semana passada)

ps.: estou com medo do resto do dia.
ps1: o borras esta a passar uma fase dificil como se pode ver...

posted by .j. @ 10:14 da manhã, ,




temperatura e horário diferentes, este blogue ou muda ou morre





[ ainda em toda a parte - Helsínquia, 2005 ]
[ fotografias de .j. ]

::: KIASMA :::

posted by .j. @ 1:18 da manhã, ,




a desmedida realidade de fevereiro



[ em toda a parte - Keskisenkatu, 2005 ]
[ fotografia de .j. ]

Tu chamas-me, amor,
eu apanho um taxi

Tu chamas-me, amor, eu apanho um taxi,
cruzo a desmedida realidade
de fevereiro para ver-te,
o mundo transitório que me oferece
no assento de tras
uma oculta abobada de sonhos,
luzes intermitentes como conversas,
letreiros acesos na brisa,
que nao sao destino,
mas que estao escritos por cima de nos.

Eu sei que as tuas palavras nao terao
esse tom luxuoso, que os ares
inquietos do teu cabelo
guardarao a nostalgia artificial
do sotao sem luz onde me esperas,
e que por fim de manha
ao acordar-te,
entre esquecimentos a meias e detalhes
fora de contexto,
teras piedade ou medo de ti mesma,
vergonha ou dignidade, incerteza
e talvez o luxurioso mal-estar,
o golpe que nos deixam
as historias contadas numa noite de insonia.

Mas tambem sabemos que seria
pior e mais custoso
leva-las a casa, nao esconder o seu cadaver
no fumo dum bar.
Eu venho sem idomas desde a minha solidao,
e sem idiomas vou ate ? tua.
Nao ha nada a dizer,
mas suponho
que falaremos nus sobre isto,
pouco depois, tirando-lhe importância,
avivando os ritmos do passado,
as coisas que estao longe
e que ja nao nos doem.


- Luis Garcia Montero,
in Qual é a minha ou a tua língua? -

*




posted by .j. @ 10:20 da tarde, ,




para o DIA dos NAMORADOS...



ou NAO!

[postais com pinta aqui XXX ]

posted by .j. @ 10:17 da tarde, ,


posted by .j. @ 2:57 da tarde, ,




video - experience :

.1. ver dois cromos durante um ano aqui XXX


.2. viajar sem sair do sítio aqui XXX

posted by .j. @ 6:30 da tarde, ,




postais daqui para aí e vice-versa


[ fotografia de Damon Durham, ver melhor aqui XXX ]

:) *


posted by .j. @ 6:16 da tarde, ,




porque a imagem merece o poema ou para quem gosta de gatos



- ric fortune -


Quero acabar como uma gata,
beber leite em tigelas de barro,
comer peixe fresco e fetos.
Quero ser uma gata para me deitar
entre os livros que estás a ler,
deixar pelos meus pela casa toda,
arranhar-te as pernas.
Quero acabar como uma gata,
para que me fales quando estiveres só,
convencido de que nunca te vou compreender,
rasgar-te papéis importantes,
extraviar adornos de valor.
Quero ser uma gata para de noite subir aos telhados
e ouvir-te desesperado a chamar-me:
Miau, miau, miau, miau...

- Zoe Valdez,
in Qual é a minha ou a tua língua?
Cem poemas de amor de outras línguas,
Assirio & Alvim -

------------------------------------------------

posted by .j. @ 9:16 da manhã, ,