noticia :

Mines Castanheira apresenta Plasticidades
na noite de 3 de Novembro de 2005
no Clube Literário do Porto.

posted by .j. @ 11:05 da manhã, ,




a criança que ha em mim

Your Inner Child Is Surprised

You see many things through the eyes of a child.
Meaning, you're rarely cynical or jaded.
You cherish all of the details in life.
Easily fascinated, you enjoy experiencing new things.
How Is Your Inner Child?

posted by .j. @ 11:04 da manhã, ,




Poema sobre o amor I

Entregámo-nos
um ao outro
dentro dos lençois
brancos
a tarde
na posiçao mais
ortodoxa
e agora sabemos
e nao sabemos
um do outro
escrevemo-nos
escrevemos


[ Adília Lopes,
in Caras Baratas, antologia,
Relogio d'Agua
]

posted by .j. @ 8:35 da tarde, ,




I e II

I

O dia morreu cinzento
No teu sorriso inocente de criança
Na descida íngreme do teu maxilar imperfeito.
Espreitei para o fundo da tua alma
E vi-me ir embora
No poço do fundo negro dos teus olhos
Onde 1000 demónios nos torturam a alma.
Peguei no jornal onde estava escrito que já n?o me amavas
Arrebanhei ent?o na boca todas as mágoas
e afoguei-as no último café do dia.

e II

Escolhe cuidadosamente a tinta negra,
Mata o galo mais bonito da capoeira,
E arranca-lhe a pena mais longa
Acaricia religiosamente o papel de seda
E senta-te ? secretária de mogno
onde vais escrever pela última vez

corta todas as árvores que plantaste
rasga todos os livros que escreveste
mata o cordeiro mais novo do teu rebanho

e por fim, pega na faca com que cortaste o p?o
e decapita o grito na garganta.

posted by Bruno @ 7:37 da tarde, ,




Poema sobre o amor

Hoje de manha, ao acordar,
pensei:
hoje, o amor vai assaltar-te
embora nao soubesse como ele é
nem o que vale.

Eu acho que as coisas realmente grandes na historia
(tanto na historia UNIVERSAL
como na historia pessoal
mas talvez eu esteja errado)
de modo nenhum sao feitas por amor
ou em amor ou qualquer coisa assim;
eu acho que as coisas realmente grandes
se fazem por razoes completamente diferentes.
Por exemplo, a SIEMENS nao constroi por amor
uma barragem em Cabora Bassa, e tambem
uma revoluçao do amor nao
levara a nada.
Claro que se pode tentar
mas eu nao acredito nisso.

E tentei
explicar isto a mulher-do-meu-amor
(que acordou logo a seguir a mim
talvez eu a tenha acordado
ao erguer-me para olhar para o despertador
passava pouco das onze e era sabado)
e ela disse
que nao fazia SENTIDO
eu estar AGORA a explicar-lhe isto
e eu dei-lhe razao
e
ela
deitou a mao a minha piça. Depois
fizemos amor ate ao meio-dia-e-meia
sem que dai
resultasse
nada de verdadeiramente grande
digamos: pelo menos com metade da grandeza
dos esforços de Levine em Munique em 1919.


- Jurgen Theobaldy, poeta alemao,
nascido em 1944 -

posted by .j. @ 11:11 da tarde, ,




rascunho #8



Frank Black, "Selkie Bride"

posted by Ricardo Fortunato @ 3:07 da tarde, ,




ihihihih



Beach Disaster
| Enid Crow

posted by .j. @ 12:53 da tarde, ,




mudar, alterar, modificar, permanecer igual


[Fotografia de .j.]

O branco deste blogue pertence ao passado. Novo template, borras de café antigas.
Post com fotografia de sorriso bonito apanhado antes de um jantar de mulheres.
Poema que já cá fazia falta. Beijinho para todos os visitantes deste pedaço "a escassas dezenas de metros do mar".

--
Somos o que somos

Somos o que somos.
Uma caravela retorica
ou os noivos coibidos de fazer amor,
o verao onde os ciganos se aquecem
e os homens coxeiam conforme as raças,
os joelhos e as coxas torneadas
dos artistas e dos visitantes
dos ritos religiosos,
as crianças que brincam nas lixeiras
controladas pelas forças policiais.
Somos o que somos:
um destino a escassas dezenas de metros do mar.

--
Fernando Alves dos Santos,
in Diario Flagrante [Poesia],
Assirio & Alvim

posted by .j. @ 8:04 da tarde, ,




estranho mundo da net I

As coisas que se inventam...

Ver aqui: XXX

posted by .j. @ 11:57 da manhã, ,




estas v?o para o album de família

O que é que os nossos filhos vao pensar de nós quando virem isto?!





Eu e Ele, por causa de Erwin Wurn.

posted by .j. @ 4:56 da tarde, ,




Nao tinha muito que fazer


Nao tinha muito que fazer hoje, entao desenvolvi uma "steadycam-para-a-nuca". Também fiz um cabo.

posted by Ricardo Fortunato @ 1:33 da manhã, ,


realmente, este blogue está muito branco...

posted by .j. @ 1:46 da tarde, ,


Les sentiments apparents
La lég?reté d'approche
La chevelure des caresses.

Sans soucis sans soupçons
Tes yeux sont livrés ? ce qu'ils voient
Vus par ce qu'ils regardent.

Confiance de cristal
Entre deux miroirs
La nuit tes yeux se perdent
Pour joindre l'éveil au désir.

Paul Éluard ("Nush" - 1932)

posted by Bruno @ 1:20 da tarde, ,


gosto desta página -> Jeff Bridges.com

posted by Ricardo Fortunato @ 3:03 da tarde, ,




[poesia para 8 de Setembro'05]


[ Fotografia de Mines Castanheira ]

Quando o sol molha por dentro

Podemos reapaixonar-nos
de vez em quando
sem nunca nos termos deixado de amar.
É o simples prazer daqueles momentos,
os longos, longos, segundos
quando o sol molha por dentro e a chuva se veste por fora.

Olho-te agora - tens a ponta do nariz manchada com café...
E o meu sorriso abre-se, solto - adocicado já.
Conto-te o dia de hoje já a espera de te contar o de amanha.

Nao te aceito as promessas.
Até porque te amo. Tanto que
me esqueci de te dizer dessa mancha de café.

Nao te aceito as promessas. Dá-me o simples prazer de estar aqui e esperar um destes momentos.
Quando o sol molha por dentro e a chuva se mistura com o beijo.


[ Poema de Mines Castanheira,
in plasticidades,
editorial MAGNOLIA ]

[A apresentaçao do "filho" primogénito de Mines terá lugar no Porto em dia ainda desconhecido, mas provavelmente antes do mes de Setembro acabar. Entretanto, já é possível encontrar o livro a venda nas livrarias...]

posted by .j. @ 11:28 da manhã, ,


Zagreb, 25 de Agosto, 9:30 (mais ou menos)

no dia anterior:
- Amanha vamos fazer umas imagens no aviao. Queres vir?
- Se quero ir?!


[ banda sonora: ]


Two Banks Of Four, "Theme de la tete"

posted by Ricardo Fortunato @ 9:38 da tarde, ,


posted by Ricardo Fortunato @ 1:47 da manhã, ,