foto: ricardo fortunato

De vez em quando chego a casa e olho para o meu piano e sinto-me culpado. Culpado por dois anos e meio de lições não estarem a servir para tirar dali músicas como, por exemplo, as que o Yann Tiersen consegue tirar do dele. Quando ciclicamente lá tento compor alguma coisa o resultado é sempre um sofrível Richard Clayderman meets romântica FM featuring Anjos. E fico sempre a interrogar-me "como raio é que ele consegue?". Ele faz o piano parecer tão... moderno. É um piano, sempre com aquele tom grave e sério dos pianos, mas tem sempre um travo a pop, como esta música que uso para ilustrar o post. É muito definitivamente assobiável. Nem é das mais populares, apesar de fazer parte da banda sonora da "Amélie", mas não é a faixa principal que toda a gente adora trautear. E ainda assim, é genial.

Yann Tiersen, "Comptine D'un autre été: L'après-midi"

posted by Ricardo Fortunato @ 10:25 da tarde, ,



Ontem perdi-me pela quarta vez no Porto. Acho que gosto de andar perdido. A solução depois é simples: andar sempre em linha recta até reconhecer alguma coisa.

Margarida Pinto, "Apontamento"

posted by Ricardo Fortunato @ 11:07 da tarde, ,