[Fotografia de .j.]

O blogue, pela parte que me toca, entra a partir deste momento em modo "férias".
Longe de imprevistos, o barco que me leva, tomará conta do meu regresso, em meados de Agosto. Até lá, este poema:

Iremos juntos sozinhos pela areia
Embalados no dia
Colhendo as algas roxas e os corais
Que na praia deixou a maré cheia.

As palavras que disseres e que eu disser
Serão somente as palavras que há nas coisas
Virás comigo desumanamente
Como vêm as ondas com o vento.

O belo dia liso como um linho
Interminável será sem um defeito
Cheio de imagens e conhecimento.

* de Sophia de Mello Breyner Andresen,
in No Tempo Dividido, editado pela Caminho.

Etiquetas: , ,

posted by .j. @ 2:58 da manhã, ,



"Tarnation", de Jonathan Caouette (2003)

De Jonathan Caouette sobre Jonathan Caouette. E sobre a mãe, uma toxicodependente como resultado de maus diagnósticos. E sobre os avós. Que ele acaba por acusar.
É quase impossível ficar indiferente ao "Tarnation". A mim, incomodou-me. Só não sei exactamente se foi por a) haver alguém honesto e corajoso que expõe a vida pessoal desta forma, assumindo problemas, capaz de mostrar aqueles segredos que preferimos esconder ou b) haver alguém que faz um aproveitamento reprovável da vida pessoal, expondo problemas, capaz de mostrar aqueles segredos que preferimos esconder.

A banda sonora é excelente e inclui um punhado de composições originais de um músico que infelizmente aparece pouco:

Max Avery Lichtenstein "Tarnation"

Etiquetas:

posted by Ricardo Fortunato @ 4:31 da tarde, ,


MÚSICA PARA CRIANÇAS CRESCIDAS:

Etiquetas: , , ,

posted by .j. @ 12:14 da tarde, ,


AIMEE MANN 25.07.07:


[Fotografias de .j.]

posted by .j. @ 1:28 da manhã, ,


ONE:



Andei meses e meses e meses e meses com a banda sonora do Magnolia no meu carro. Alimentando talvez a esperança de vir a saber o que é uma chuva de sapos, HOJE vou descobri-la.

posted by .j. @ 8:09 da tarde, ,


PRESTA ATENÇÃO:



Encontrei-o, em boa hora, através do Atrium.

Etiquetas:

posted by .j. @ 9:07 da tarde, ,



21/7/07 - se olhasses menos e pensasses mais


The Vision "Stop"

Etiquetas:

posted by Ricardo Fortunato @ 7:20 da tarde, ,



"Taxidermia", de György Pálfi (2006)

Este é daqueles cujo trailer chega para abrir o apetite. E, tendo em conta que este filme tem algumas das cenas mais repugnantes* que já vi em cinema, utilizar uma expressão como abrir o apetite é quase perverso.

(*) repugnantes, mas um repugnante... er... bom, tipo Pasolini ou "Delicatessen" ou então um "Bad Taste" mas com classe.

Etiquetas:

posted by Ricardo Fortunato @ 9:52 da tarde, ,



20/7/07 - somos aborrecidos e fazemos questão de aborrecer os outros


L7 "Shitlist"

Etiquetas:

posted by Ricardo Fortunato @ 8:30 da tarde, ,



19/7/07 - "a melhor coisa que ele era capaz de lhe dizer é que quando ela vai ele não quer que ela vá."

Etiquetas:

posted by Ricardo Fortunato @ 4:35 da tarde, ,



18/7/07 - awkward people

apropriadamente, nas colunas:


The Smiths "Bigmouth Strikes Again"

Etiquetas:

posted by Ricardo Fortunato @ 2:54 da tarde, ,




nós aqui sem parar, numa terra a girar...

Etiquetas:

posted by .j. @ 9:15 da tarde, ,



14/7/07 - pés à beira-rio


Antipop Consortium "Places I've Never Been"

Etiquetas:

posted by Ricardo Fortunato @ 11:21 da tarde, ,


"Tentei encurtar as horas com relógios pequenos e alargá-las com relógios maiores. De nada me valeu. Ó minha angústia. Por que é que as coisas são tão reais?"

Escrito na quinta folha de um pequeno caderno pautado a azul, de capa cor de mel, no dia 19 de Abril de 1993, no Porto, por Daniel Faria. Acessível numa recente edição, Quasi - Maio 2007, do manuscrito reproduzido em facsímile. Intitula-se O Livro do Joaquim, porque na primeira página continha a seguinte dedicatória: "Joaquim no fim deste livro talvez seja o teu nome a única palavra que deixemos por riscar". Lido e sublinhado no metro, nos últimos dois dias.

Etiquetas:

posted by .j. @ 11:04 da tarde, ,


ELA

[Fotografias de Franck Juery]

ELE

[Fotografia de Joanna Gorlach e de Geoffroy Demarquet]

CONCLUSÃO

[Fotografia de Tim Walker]

Etiquetas:

posted by .j. @ 10:14 da tarde, ,


Thích Quang Ðuc was a Vietnamese Buddhist monk who burned himself to death at a busy Saigon intersection on June 11, 1963. His act of self-immolation, which was repeated by others, was witnessed by David Halberstam, a New York Times reporter, who wrote:



" I was to see that sight again, but once was enough. Flames were coming from a human being; his body was slowly withering and shriveling up, his head blackening and charring. In the air was the smell of burning human flesh; human beings burn surprisingly quickly. Behind me I could hear the sobbing of the Vietnamese who were now gathering. I was too shocked to cry, too confused to take notes or ask questions, too bewildered to even think.... As he burned he never moved a muscle, never uttered a sound, his outward composure in sharp contrast to the wailing people around him."


XXX

posted by .j. @ 11:10 da tarde, ,


.luz rasante.

Etiquetas:

posted by .j. @ 12:56 da manhã, ,



na Sexta, a reconstituição do enforcamento de Brito e Cunha em Matosinhos - o enforcamento aconteceu, na realidade, na Mártires da Liberdade no Porto; no sábado foi a recriação do desembarque na Praia da Memória, tudo parte das comemorações dos 175 anos do desembarque de D. Pedro IV.
(adoro andar no meio destas coisas)

Etiquetas:

posted by Ricardo Fortunato @ 4:50 da tarde, ,








Which Peanuts Character are You?




You are Rerun!
Take this quiz!








Quizilla |
Join

| Make A Quiz | More Quizzes | Grab Code

posted by .j. @ 10:40 da manhã, ,




O meu amigo Rui era o meu melhor amigo. Não necessariamente por ter qualidades - isso não conta naquela idade - mas sim porque tinha Subbuteo na cave. Normalmente aos sábados, depois da catequese, começou a ser inevitável a passagem por casa dele para umas partidinhas de futebol, mas nas pontas dos dedos. A somar a isso ele tinha um ZX Spectrum o que fazia dele ainda mais meu melhor amigo. Entre partidas carregadas de polémica no tabuleiro ou sessões de Bruce Lee e Indiana Jones um dia descobrimos, naquela cave enfeitada por modelos miniatura de comboios e montanhas, uma câmara Super8. Depois de umas primeiras brincadeiras com a máquina comecei mesmo a gostar daquilo. E daí a manipular o Rui para dedicarmos cada vez mais tempo a fazer filmezinhos e menos a jogar foi um estalar de dedos. Quase tudo o que fizemos se perdeu mas ainda salvei algumas coisas, entre elas este "Major Pinguim".

Etiquetas: ,

posted by Ricardo Fortunato @ 4:18 da tarde, ,




Sobre o concerto em questão - como diria alguém que eu cá conheço - "impecável".

Etiquetas: ,

posted by .j. @ 12:33 da manhã, ,



A propósito, ver um dos sketchbooks de Edvard Munch. Aqui.
Ric, devias transformar os teus cadernos numa coisa destas em flash p'ra gente apreciar!
ps.: eu tinha escrito um texto gigantesco para este post e entretanto esta coisa chamada internet foi ao ar e perdi tudo. logo, devo entender tal acontecimento como um sinal do céu para não vos chatear com mais palavras.

posted by .j. @ 2:00 da manhã, ,



4/7/07 - senhor a passear um cão nos jardins do Palácio

no meu Zen rodava:

Sparklehorse "Shade and Honey"

Etiquetas:

posted by Ricardo Fortunato @ 12:38 da manhã, ,



3/7/07 - desconhecida no metro enquanto ouvia:

Hefner "China Crisis"

Etiquetas:

posted by Ricardo Fortunato @ 4:24 da tarde, ,